Abraço simbólico no Teatro Amazonas marca o fim da Campanha Estadual de Combate à Tuberculose

Ação busca conscientizar a sociedade da importância da prevenção à doença

Causada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis, a tuberculose é uma doença infecciosa que afeta principalmente os pulmões, mas também pode atingir outros órgãos. Um abraço simbólico marcou o encerramento da Campanha de Combate à Tuberculose no Amazonas, nesta sexta-feira (31/03). O ato ocorreu ao fim de uma caminhada, no bairro Centro, Zona Sul de Manaus. A ação objetiva conscientizar a população da importância da prevenção à doença.

A iniciativa é conjunta entre as instituições: Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (SES-AM), Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Dra. Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP), que é vinculada à SES-AM; Comitê Estadual de Controle da Tuberculose do Amazonas, Secretaria de Estado de Educação e Desporto (Seduc) e Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) de Manaus.

A ação também contou com o apoio das Organizações da Sociedade Civil (OSC): Associação de Redução de Danos do Amazonas (Ardam) e Associação Katiró, além da Assessoria do vereador Willian Alemão e a Frente Parlamentar Mista de Enfrentamento e Defesa dos Direitos da Pessoa com IST/HIV/AIDS e Tuberculose.

Segundo a diretora-presidente da FVS-RCP, Tatyana Amorim, a caminhada seguida do abraço simbólico representou ato importante para mobilizar a população sobre a prevenção da doença. “A tuberculose é uma doença infecciosa, contagiosa e que a gente precisa reduzir os números no estado. A mobilização é de sensibilização para trazer o alerta de que é preciso diagnosticar, tratar precocemente e sobretudo prevenir”, destaca.

Marinélia Ferreira, diretora do Departamento de Vigilância Ambiental e Epidemiológica da Semsa de Manaus (Devae/Semsa), enfatizou o atendimento para suspeitos da doença em Manaus. “Tuberculose é uma doença que tem cura, tem tratamento. A pessoa pode procurar, se estiver com sintomas, qualquer uma das nossas Unidades Básicas de Saúde que tem o exame gratuito e o diagnóstico”, disse.

Cura da tuberculose

Também presente na caminhada, o pedreiro aposentado, Carlos Alberto Melo da Silva, de 59 anos, exibia, com orgulho, o Certificado de Conclusão de Tratamento de Tuberculose, atestando a cura da doença para ele, que foi submetido a um tratamento de 1 ano e 8 meses. Carlos é enfático em destacar a importância do paciente, em tratamento para tuberculose, completar todo a medicação indicada pelo médico. “É muito importante manter o tratamento, tomar os remédios direitinho, passados pelo médico e, com toda a certeza, essa pessoa vai alcançar a cura”, afirma Carlos.

Cenário

No Amazonas, em 2022, foram registrados 3.826 casos e 214 óbitos pela doença. Em 2023, 469 casos foram registrados, sendo 295 em janeiro, 166 em fevereiro e 8 em março. Ainda no estado, somente em 2022, 1.346 pessoas foram beneficiadas pelo tratamento da ILTB que reduz em até 90% o risco de desenvolver tuberculose doença. Os dados estão disponíveis em painel epidemiológico em: https://www.fvs.am.gov.br/indicadorSalaSituacao_view/126/2.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *