Arsepam fiscaliza as manutenções das estações de gás em usinas termelétricas do Amazonas

O gás natural gera cerca de 60% da eletricidade utilizada em Manaus e em outros cinco municípios

Responsável por fiscalizar e avaliar os serviços de distribuição e comercialização de gás natural (GN), desenvolvidos pela Companhia de Gás do Amazonas (Cigás), a Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados e Contratados do Amazonas (Arsepam) realizou visitas técnicas nas Estações de Medição e Redução de Pressão (EMRPs) da concessionária em cinco usinas termelétricas do estado.

O Departamento de Recursos Energéticos (Dere) da Arsepam iniciou as visitas no dia 27 de março para averiguar as manutenções preventivas e corretivas das EMRPs, assim como conhecer os trabalhos desenvolvidos pela concessionária nas usinas termelétricas de Anamã, Anori, Caapiranga, Coari e Codajás. O GN é responsável por gerar cerca de 60% da eletricidade desses municípios e da própria capital Manaus.

O diretor-presidente da Agência Reguladora, João Rufino Júnior, frisou que o GN é primordial para o funcionamento energético do estado e as informações sobre o volume de operações da Cigás é enviado mensalmente para a autarquia. Ainda segundo o gestor, conforme os dados presentes no relatório de fevereiro, o volume de 121.146.428 m³ consumidos pelo segmento no mês representa 85,40% do total. “O setor termelétrico consome o maior volume de GN. Esse combustível é fundamental para a geração de energia elétrica desses municípios e da própria capital. O Governo do Amazonas fez diversos investimentos no setor nos últimos anos, como a criação da Lei Estadual nº 5.420/2021 (Lei do Gás), abrindo o mercado no estado”, pontuou Rufino.

Atividades

As visitas técnicas às usinas termelétricas dos municípios foram feitas pelo gerente de recursos energéticos, engenheiro Igor Cardozo, que conheceu e avaliou o funcionamento do sistema isolado das estações da Cigás. “Em Coari pude conhecer a turbina a gás combinada com a turbina a vapor. O calor produzido pela primeira alimenta uma caldeira gerando vapor para a segunda. Então é um sistema combinado de eficiência energética. Podemos perceber o cuidado que a Cigás tem em relação às manutenções corretivas e preventivas”, afirmou Igor Cardozo.

Cardozo salientou que o Amazonas possui a maior concentração de GN em terra firme do Brasil, sendo o combustível a principal fonte de energia para as usinas. Ele afirma que o investimento no GN permite maior qualidade de vida para a população, gerando empregos e trazendo maior eficácia energética para o estado.

Outras visitas técnicas estão previstas para ocorrer neste ano, seguindo o planejamento de ampliação dos trabalhos desenvolvidos pelo departamento da Arsepam.

Possibilidades

Além do termelétrico, o GN é utilizado no Amazonas no segmento comercial, industrial, residencial, veicular e autogeração/liquefação. É o menos poluente dos combustíveis fósseis, tem uma grande eficiência na geração de calor, baixo custo, transporte seguro por meio dos dutos e baixo risco de acidente, pois não é tóxico e se dissipa com facilidade, por ser mais leve que o ar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *