Fundação Alfredo da Matta reforça debate sobre infecções hospitalares

Comissão de Combate às Infecções vai reforçar orientação e cumprimento das normas técnicas

A Comissão de Controle de Infecções Hospitalares (CCIH) da Fundação Hospitalar Alfredo da Matta (Fuham), instituição vinculada à Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), começou, no dia 31 de março, o processo de restruturação e planejamento para 2023. 

A nova formação da CCIH, instituída no dia 15 de março deste ano, reúne sete profissionais do quadro ativo da Fuham, entre representantes da classe médica, enfermeiros, laboratórios, além de presidente, vice-presidente e secretário. Na reunião, a comissão listou ações prioritárias como, por exemplo, reforço das visitas técnicas aos diversos setores previstos na cobertura da CCIH.

“Nós vamos nos setores para verificar o cumprimento das normas e para orientar também. E caso a gente encontre alguma não conformidade, reunimos com o gestor responsável e traçamos um plano de ação pra resolver os problemas desse setor. Sempre com essa intenção de melhoria contínua, por intermédio da orientação”, afirmou a farmacêutica Eliene Canto, presidenta da CCIH/Fuham.

Discussão atual

A médica infectologista Lilia Roy, integrante da comissão, lembra que o uso contínuo de medicação antimicrobiana leva à resistência dos agentes patológicos. Além disso, os hospitais que recebem internação se tornam ambientes que oferecem cuidados, mas ao mesmo tempo, é um ambiente que gera riscos, tanto para o profissional quanto para o paciente.

“O ato médico é indispensável como ação para cuidar. Mas também é necessário um controle, dentro das unidades, para que todas as ações sejam feitas de acordo com as melhores práticas. Para que não se perca o controle sobre os agentes microbianos, que são resistentes, para que se possa controlar todas fontes de infecção e que se evite a propagação de doenças infectocontagiosas, geradas dentro ou vindas de fora do ambiente hospitalar”, afirma a médica Lília Roy.

Datas importantes

A comissão prepara ações especiais para a celebração de duas datas importantes no contexto do trabalho que pretende executar. Dois dias no mês de maio marcam a discussão: o 5 de maio, Dia Nacional de Higienização das Mãos, e o dia 15, Dia Mundial de Controle das Infecções Hospitalares. Nas duas datas, a Fuham deverá realizar atividades que ressaltam as boas práticas que evitam infecções contraídas dentro das unidades.

Na Fuham não há registros de casos de infecção hospitalar. Em 2022, a fundação assumiu o status de hospital, pelo qual está em vias de praticar internações de 24 horas, prática chamada de “hospital dia”, o que deve aumentar a preocupação de especialistas em infecções hospitalares dentro da unidade. Preocupação sobre a qual, a CCIH já está se adiantando.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *