Governo do Amazonas anuncia programa habitacional com mais de 22 mil soluções de moradia e 32 mil títulos de terra

Com investimentos de R$ 3,9 bilhões, ‘Amazonas, Meu Lar’ foi lançado hoje

O Governo do Amazonas anunciou, nesta segunda-feira (10/04), o maior programa habitacional do estado – o “Amazonas, Meu Lar”, que contempla 22.172 soluções de moradia definitivas, das quais 20 mil novas unidades habitacionais, e a emissão de título definitivo para 32 mil propriedades no Amazonas em quatro anos. Do total do investimento no “Amazonas, Meu Lar”, de mais de R$ 3,9 bilhões, R$ 1,086 bilhão virá dos cofres estaduais e os R$ 2,836 bilhões restantes serão do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e de programas de financiamento da Caixa Econômica Federal.

O novo programa do Governo do Estado será realizado por meio da Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE) em conjunto com a Superintendência de Habitação (Suhab). A UGPE já responde pelo Programa Social e Ambiental de Manaus e Interior (Prosamin+) e pelo Programa Social e Ambiental do Interior (Prosai) de Parintins, que têm em seu escopo soluções de moradia para famílias de área de risco e que terão a parte de habitação integrada ao “Amazonas, Meu Lar”.

Regulamento 

O “Amazonas, Meu Lar” é o maior programa habitacional da história do Amazonas, a ser executado em quatro anos e com estimativa de geração de 51 mil empregos diretos e indiretos. Em até 60 dias será publicado o regulamento do programa, que deve abranger as cinco faixas de renda já previstas em programas federais, com os quais o Estado também vai firmar parcerias.

O projeto vai absorver as soluções de moradia disponíveis no Prosamin+ e no Prosai Parintins, que têm financiamento do BID. Também serão construídas novas moradias, além da concessão de subsídios para pagamento de sinal de financiamento para aquisição de imóveis já disponíveis no mercado. Serão destinadas, ainda, soluções de moradia definitiva para reassentar as famílias retiradas da ocupação Monte Horebe, zona norte, e da Cachoeira Grande, zona oeste, que hoje recebem auxílio aluguel do Estado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *