Governo do Peru classifica transexualidade como doença mental

A decisão foi tomada pelo Ministério da Saúde do país que atualizou o Plano Essencial de Saúde (PEAS) no dia 10 de maio

Peru — A transexualidade e transtornos de identidade de gênero foram classificados pelo governo do Peru como doença mentais. A decisão foi tomada pelo Ministério da Saúde do país, que atualizou o Plano Essencial de Saúde (PEAS) no dia 10 de maio.

A atualização inclui o que o governo chama de “transexualismo, travestismo de duplo papel, transtorno de identidade de gênero infantil, transtorno de identidade de gênero sem outra especificação, travestismo fetichista e orientação sexual egodistônica” em “pessoas com problemas de saúde mental” no PEAS.

No Peru, as regras indicam que para que uma enfermidade conste na lista é preciso que a Organização Mundial de Saúde (OMS) inclua essa doença na Classificação Internacional de Doenças. No entanto, em 2019 a OMS decidiu, durante uma assembleia mundial da Saúde, retirar a classificação da transexualidade como transtorno mental.

De acordo com informações do jornal “El Comércio”, o ministério incluiu a transexualidade em uma lista de doenças que os planos de saúde devem contemplar nos tratamentos que oferecem. Ainda segundo o jornal, se uma patologia não estiver na lista, os seguradores não precisam oferecer planos de saúde que incluem terapia.

Após a atualização do governo, a comunidade LGBTQIA+ criticou o decreto e não excluiu a realização de um protesto pacífico