Projeto do Programa Ciência na Escola realiza compostagem de resíduos orgânicos em escola da zona rural de Manaus 

Na zona Rural de Manaus, alunos aprenderam a fazer compostagem, a partir da coleta e tratamento de resíduos orgânicos. Os estudantes da educação básica que participaram do projeto, na Escola Municipal Professor Paulo César da Silva Nonato, localizada na comunidade Nova Esperança, transformaram lixo em adubo natural. A iniciativa contou com apoio do Governo do Estado, via Programa Ciência na Escola (PCE), fomentado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam).  

De acordo com o coordenador do projeto, o professor David Caldas de Sousa, um dos objetivos da ação foi apresentar aos moradores da comunidade Nova Esperança uma forma simples, ecologicamente correta e viável de reduzir a quantidade de lixo descartado.  

“A ideia do projeto surgiu na intenção de reduzir resíduos orgânicos nas lixeiras para evitar o acúmulo de lixo, diminuir o mau cheiro e, consequentemente, as possíveis doenças que podem ser geradas até que os resíduos sejam recolhidos pelo caminhão coletor”, destacou.  

Segundo o professor, foi realizada uma pesquisa bibliográfica com os alunos sobre o conceito e o processo da compostagem, técnica que transforma a matéria orgânica encontrada no lixo em adubo natural, que pode ser usado para diversos fins, entre os quais, na agricultura, jardins e plantas. 

No âmbito do projeto, também foi realizada uma pesquisa de campo na comunidade com o objetivo de saber se os moradores conheciam e/ou realizavam a compostagem dos materiais descartados. “Depois disso, elaboramos na escola uma exposição do projeto e convidamos os comunitários para que pudessem aprender e fazer a prática do processo”, disse o professor ao destacar os desdobramentos sociais do estudo.  

Participantes e apoio

Iniciado em julho de 2022, a ação contou com a participação de alunos do 7º e do 9º ano do Ensino Fundamental. A iniciativa foi concluída em dezembro do ano passado.

O coordenador reforçou que o investimento da Fapeam no projeto trouxe consequências positivas para além do ambiente escolar. “A Fundação nos concedeu a oportunidade de desenvolver um projeto que pode beneficiar, em vários aspectos, não somente uma comunidade, mas todo aquele a quem esse projeto alcançar. Além disso, graças à Fundação, os alunos podem ter a oportunidade de desenvolver seu lado pesquisador, sendo incentivados na busca pelo conhecimento”, finalizou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *