+RespirAR oferece tratamento ortopédico especializado a pacientes

Referência internacional, programa permite que pacientes tenham um recomeço na atividade física

O +RespirAR vem proporcionado um novo começo para aqueles que estão no processo de reabilitação por meio de seções de atividade física. Coordenado pela Fundação Amazonas de Alto Rendimento (Faar), em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), o +RespirAR proporciona atendimento especializado a pacientes que tenham sofrido distúrbios ortopédicos. Com uma equipe multidisciplinar, o processo de tratamento do programa tem significativa importância no atendimento dos pacientes, melhorando os aspectos de crises dolorosas e fortalecendo a musculatura. “Superação e qualidade de vida são marcas registradas no programa que une esporte e saúde como ferramenta para a melhoria da saúde pública. Por essa razão o governador Wilson Lima investe para que mais pessoas possam ter acesso ao tratamento e assim retomarem a qualidade de vida”, ressaltou o diretor-presidente da Faar, Jorge Oliveira.

Em 2 meses de tratamento no núcleo do +RespirAR no Centro de Convivência da Família Padre Pedro Vignola, o paciente Paulo Afonso, que possui desgaste articular na região patelar, conta com orgulho sobre sua evolução. “Cheguei ao programa com meu emocional abalado por causa das fortes dores que sentia, aqui encontrei uma equipe de profissionais dedicados que iniciaram o processo de tratamento, hoje estou muito melhor. Aqui se cura o corpo e a mente, e tenho certeza que eu vou ficar completamente reabilitado”, relatou Paulo Afonso, de 58 anos.

Após uma fratura na lombar em um acidente doméstico, Maria de Lurdes, de 56 anos, chegou ao programa com dificuldades para realizar atividades motoras e tarefas diárias. Encaminhada à realizar atividades físicas, a paciente fala sobre a recuperação por meio do tratamento. “Devido a um acidente em 2016 minha saúde ficou instável, quando cheguei ao +RespirAr sentia fortes dores na coluna. Agora, estou bem melhor e consigo realizar atividades diárias”, destacou Maria de Lurdes.

Fazendo parte do processo de reabilitação dos pacientes, o profissional de educação física Wanez Silva relatou a evolução a partir do tratamento. “A Maria e o Paulo chegaram ao programa bastante debilitado, mas, com a força de vontade e trabalho dos profissionais, eles vêm melhorando a cada dia”, comentou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *