Reunião entre representantes do Idam e do programa Paisagens Sustentáveis tem como pauta metas para 2023

Encontro visa alinhar as atividades do órgão junto ao programa para ajustar cronograma das atividades de campo

O diretor-presidente do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam), Daniel Borges, reuniu-se na ultima quarta-feira (18), com a coordenadora do programa Paisagens Sustentáveis da Amazônia, Letícia Oliveira, para dialogar sobre metas e definir atividades para o ano de 2023. Também estiveram presentes os engenheiros florestais Maria do Carmo Gomes Pereira, Luiz Rocha e Wanda Lemos

Para o diretor-presidente do Idam, o apoio da Conservação Internacional (CI-Brasil), por meio do programa, pode fazer uma grande diferença.

Com o objetivo de promover o desenvolvimento sustentável no estado, o Idam tem atuado dentro do programa com a promoção de práticas sustentáveis, a regularização ambiental com inscrições e retificações de Cadastro Ambiental Rural (CAR), restauração de áreas florestais através da difusão de práticas sustentáveis agroecológicas e manejo florestal para agricultor familiar.

“O programa Paisagens Sustentáveis da Amazônia tem ações que recebem apoio de órgãos como Idam, o Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) e a Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) desde 2017. Nossas metas incluem aprimorar a gestão de 60 milhões de hectares e criar 3 milhões de hectares de áreas protegidas nos 4 estados membros: Amazonas, Roraima, Acre, Pará e Rondônia”, delineou a coordenadora do programa, Letícia Oliveira.

“O que nós não queremos é que se repita o que aconteceu com projetos anteriores. Já foram feitos, no passado, outros projetos de recuperação de áreas no sul do amazonas e hoje os resultados são pífios. Então queremos evitar isso. Para isso, estamos indo a campo fazendo o monitoramento e as avaliações de áreas degradadas”.

Paisagens sustentáveis

O programa é uma iniciativa financiada pelo Fundo Global para o Meio Ambiente (no inglês, Global Environment Facility – GEF), coordenada pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), e é parte do Amazon Sustainable Landscapes (ASL), um programa regional voltado especificamente para a Amazônia, envolvendo Brasil, Colômbia e Peru. O Banco Mundial é a agência implementadora do programa e a Conservação Internacional (CI-Brasil) é a agência executora, que tem como diretriz principal a visão integrada do bioma, de modo a promover a conectividade entre os três países.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *