Vereador Sassá se une a moradores do Dom Pedro em protesto contra instalação de medidores aéreos

Segundo o vereador, a manifestação ocorre porque a população está insegura

O vereador Sassá da Construção Civil (PT), foi pra linha de frente, junto com os moradores do bairro Dom Pedro, nesta quinta-feira, (03/03), para protestar contra a Amazonas Energia. “A população não aceita o novo sistema de medição aéreo de energia (SMC) porque trata-se de um “gato inverso. Uma forma que a concessionária encontrou para tirar o prejuízo, já que não consegue coibir furtos de energia”, argumentou ao microfone um dos organizadores do movimento.

Segundo o vereador Sassá, a manifestação ocorre porque a população está insegura e há relatos que esses equipamentos pegam fogo. “É esse tipo de denúncia que chega pra mim. Há também denúncia de que após a instalação dos medidores os consumidores estão pagando o dobro do que pagavam antes. Não concordo com o uso clandestino da energia, mas a concessionária querer fechar a conta, cobrando daqueles que pagam em dia suas faturas, é um absurdo”, declarou o parlamentar. 

Durante a mobilização, uma idosa tentou impedir o avanço dos veículos da concessionária e se colocou na frente deles e depois também se abraçou a um poste na tentativa de frear a ação. “Olha o absurdo! Pessoas idosas se submetendo a uma humilhação dessa porque a Amazonas Energia não respeita seus clientes e quer impor na marra sem respeitar o posicionamento dos moradores”, declarou Sassá. 

Mesmo com o movimento contrário, a empresa conseguiu chegar a um dos postes e neste momento o clima ficou tenso porque a empresa contava com o apoio da polícia que tentou barrar a população de chegar perto do carro da concessionária. Revoltados com a atitude dos PMs, alguns moradores e o vereador Sassá sentaram na rua em protesto. Os moradores também afirmam que sofrem com prejuízos dos apagões e nunca são ressarcidos. Foi um caso de uma mulher que jogou no meio da rua um equipamento de som, que segundo ela queimou após constantes quedas de energia sem nunca ser ressarcida.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *