Ministério Público do Estado apresenta o relatório das atividades em 2022

Alberto Rodrigues do Nascimento Jr, procurador-geral de Justiça do MP-AM

O procurador-geral de Justiça do Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM), Alberto Rodrigues do Nascimento Jr, apresentou na manhã desta terça-feira (4), aos deputados da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), o Relatório Anual de Atividades referente ao ano de 2022, no Plenário Ruy Araújo. Os parlamentares estaduais receberam as informações repassadas pelo procurador-geral, que ressaltou os avanços na prestação de serviços no interior do estado e aperfeiçoamento dos recursos humanos e condições de trabalho pelo órgão.

“Esta Casa recebe com muita atenção o relatório das atividades do Ministério Público do Estado, uma instituição por quem temos o maior respeito pelos trabalhos e ações realizadas em prol da sociedade do Amazonas”, avaliou Roberto Cidade. Segundo Alberto Rodrigues cada página do Relatório Anual traduz a decisão de fazer chegar o MP-AM, e, portanto, a defesa dos direitos da sociedade, a todo o Amazonas. O que foi possível, segundo ele, por meio de ações como a promoção e entrada em exercício de três novas Procuradorias de Justiça, além da construção de sedes próprias em municípios do interior, como Coari (distante 363 km da capital), Itacoatiara (176 km) e Maués (276 km), e ainda a reforma das sedes nos municípios de Tefé (523 km), Autazes (113 km) e Novo Airão (115 km).

“Foi registrado incremento exponencial dos atendimentos em 2022, na ordem de 40,56%, em comparação a 2021”, informou o representante do Ministério Público. Outro ponto destacado pelo procurador-geral foi o investimento na qualificação dos servidores e demais membros da instituição, por entender que a melhoria no atendimento à sociedade passa necessariamente pela capacitação dos prestadores de serviços. “A qualificação de nossos servidores é um dos pilares da nossa gestão”, destacou, falando ainda que mesmo com os investimentos nos recursos humanos a despesa com pessoal atingiu o percentual de 41,10% da receita, ainda abaixo dos 49% que determina a Lei de Responsabilidade Fiscal. “Com austeridade orçamentária e financeira, transparência e responsabilidade o MP-AM presta seus serviços de defesa da legalidade, liberdade e igualdade”, declarou o procurador.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *