Mulher de 63 anos dá à luz bebê após fertilização no meio da guerra na Ucrânia

De acordo com as informações, a mulher chegou a engravidar aos 61 anos, mas perdeu o bebê após um aborto espontâneo

Ucrânia — Uma mulher de 63 anos deu à luz um bebê após engravidar por fertilização in vitro. A criança é um menino que nasceu prematura precisando ficar internado para ganhar peso e assim receber alta.

Para engravidar, a mulher identificada como Flavia Alavro precisou viajar até a Ucrânia, no meio da guerra. Ela deu à luz na última segunda-feira (3) na Itália. O menino se chama Sebastian e nasceu no hospital de Viareggio. Para conseguir engravidar, ela viajou até a Ucrânia, no meio da guerra.

De acordo com o jornal La Nazione, Flavia foi até Kieve onde foi acompanhada por uma clínica de reprodução assistida. Ainda segundo as informações, a mulher chegou a engravidar aos 61 anos, mas perdeu o bebê após um aborto espontâneo.

Nos dois casos, ela fez fertilização in vitro e pagou 15 mil euros (equivalente a R$ 85 mil). A equipe médica italiana acompanhou a gestação e antecipou uma cirurgia cesariana após subida da pressão sanguínea da italiana.

O La Nazione informou que óvulo e espermatozoide usados para gerar embrião são de doadores, sendo que um é salva-vidas e a outra uma instrutora de natação.

Imprensa italiana afirma que Flavia é “mulher mais velha” a dar à luz no país. Não há, porém, um registro oficial sobre o assunto. O recorde atual de pessoa mais velha a dar à luz no Guinness World Records foi registrado em 2006, quando uma mulher de 67 anos deu à luz gêmeos na Espanha.