Pesquisa aperfeiçoa diagnóstico da filariose 

Doença parasitária é endêmica em regiões da Amazônia

Em Manaus, pesquisa aprimorou a forma para diagnosticar uma doença conhecida como filariose, causada por vermes parasitas que se alojam no organismo humano. Os resultados do estudo indicam que com o uso do exame PCR em tempo real (sigla em inglês para reação em cadeia da polimerase) é possível disponibilizar resultados mais precisos e seguros da doença.

Causada por diversos parasitos, entre os quais, Mansonella ozzardi, Mansonella perstans e Onchocerca volvulus, a filariose é transmitida para os humanos por meio da picada de um mosquito vetor chamado pium, infectado pelas larvas do verme.

De acordo com o coordenador do estudo, o doutor em Biologia Parasitária, Sérgio Luz, do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), o método do PCR em tempo real é mais eficiente quando comparado ao diagnóstico microscópico, técnica tradicionalmente utilizada para detectar a doença. “O diagnóstico molecular serve para nos ajudar a ter um perfil epidemiológico mais próximo da realidade. Se você tem um diagnóstico mais apurado vai poder fazer chegar a medicação a todos que estão doentes. Por isso, é preciso ter uma ferramenta que ajude a chegar a um resultado melhor. E a pesquisa alcançou isso, pois mostra que o diagnóstico molecular é mais sensível que o microscópico”, explicou.

Doutor Sérgio Luz, coordenador do estudo

Dados científicos

Conforme destacou o pesquisador, o diagnóstico molecular via PCR afasta a possibilidade de resultados falsos negativos e, com isso, tem mais precisão para detectar, no organismo humano, a presença dos parasitos que provocam a filariose.

O estudo não identificou diferença genética entre os tipos de filarioses encontradas e espalhadas por diversos locais da Amazônia, entre os quais, municípios das regiões do Alto Solimões e do Alto Rio Negro, consideradas áreas endêmicas para transmissão da doença.

Destaca-se que determinada doença é tratada como endêmica quando possui grande número de casos em alguma área geográfica específica.

Sintomas

Febre, dor de cabeça, calafrio, náuseas e linfadenite (infecção nos linfonodos) são alguns dos sinais e sintomas da doença, tratada por medicamentos.

Participação e apoio

Intitulado “Diversidade de filarias humanas no Estado do Amazonas: desenvolvimento de ferramentas de diagnóstico molecular mais eficientes”, o estudo contou com a participação de nove pesquisadores e colaboradores vinculados aos laboratórios da Fiocruz no Rio de Janeiro e em Manaus, cujo laboratório está localizado na sede da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), em Manaus.

Programa Universal

O projeto é amparado por meio do edital nº 002/2018 do Programa Universal Amazonas, que fomenta projetos de pesquisa científica, tecnológica, de inovação, nas diferentes áreas do conhecimento, que busquem contribuir de forma significativa para o desenvolvimento socioeconômico e ambiental do estado do Amazonas e para o ecossistema de CT&I estadual. O projeto recebeu fomento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), via Programa Universal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *