Programa Prato Cheio alerta sobre o Combate ao Abuso e à exploração sexual de crianças e adolescente

Série de palestras contempla o Maio Laranja e visa conscientizar pais e responsáveis acerca da importância de proteção de jovens

O Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado da Assistência Social (Seas), realiza nesta semana, palestras sobre a campanha Maio Laranja, de combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes em unidades do programa Prato Cheio. A campanha iniciou nesta segunda-feira (13/05), na unidade do bairro Parque Mauá, zona leste de Manaus.

O programa, além de oferecer refeições acessíveis, também desempenha um papel fundamental na promoção da saúde e bem-estar da comunidade. Desde o início da sua implantação, o Prato Cheio tem sido um ponto de encontro para realização de eventos educativos e informativos sobre saúde, abordando uma variedade de temas relevantes, como prevenção de doenças, cuidados com a nutrição e bem-estar.

A palestra é ministrada pela assistente social do Departamento de Proteção Social Básica (DPSB), Érica Pinheiro, e pela psicóloga do Departamento de Proteção Social Especial (DPSE), Joice Campos.

De acordo com Érica Pinheiro, a palestra tem como objetivo sensibilizar a população para este tema de extrema importância na sociedade e para que os pais estejam sempre atentos aos seus filhos.

“A campanha é voltada aos usuários do Prato Cheio da capital, sobre a importância de serem responsáveis por seus filhos e de estarem atentos a qualquer mudança de comportamento dessas crianças. Levamos informações sobre como denunciar e onde buscar ajuda em caso de violação de direitos”, destacou.

Ao longo do mês, as palestras também serão realizadas nas unidades localizadas nos bairros Rio Piorini (14/05), Parque São Pedro (27/05) e Viver Melhor (28/05).

Prato Cheio

O Prato Cheio é um programa social que tem como público-alvo as pessoas em situação de vulnerabilidade, entre os quais desempregados, pessoas com deficiência, trabalhadores informais e mulheres que chefiam famílias e que se encontram em situação de extrema pobreza, ou baixa renda. O programa tem 44 unidades em funcionamento, sendo 18 em Manaus e 26 no interior.

O programa é dividido em dois serviços distintos: nos restaurantes populares, o almoço é vendido pelo valor simbólico de R$ 1, de segunda a sexta-feira, das 11h às 13h. Nas cozinhas populares, a sopa é gratuita e cada pessoa atendida tem direito a 1 litro do alimento, de sabores variados, de segunda a sábado, também das 11h às 13h.