VÍDEOS: Garimpeiros invadem município de Humaitá após ação da PF

A operação da Polícia Federal destruiu dragas de garimpeiros que atuavam ilegalmente no rio Madeira, no sul do Amazonas

Garimpeiros invadiram o município de Humaitá (a 590 quilômetros a sudoeste de Manaus), após ação da Polícia Federal (PF) que destruiu embarcações e equipamentos nas comunidades próximas ao município nesta terça-feira (14). A operação da PF destruiu dragas de garimpeiros que atuavam ilegalmente no rio Madeira, no sul do Amazonas.

De acordo com informações de moradores, dezenas de garimpeiros teriam invadido a cidade, ateado fogo em pneus e ameaçando invadir prédios públicos em retaliação a operação de combate ao garimpo ilegal na região realizada pela Polícia Federal.

Os garimpeiros teriam bloqueado a rodovia de acesso ao município para tentar evitar a chegada de reforço policial, além de impedir os militares do Corpo de Bombeiros de apagar o fogo e ainda ameaçado invadir o prédio da Fundação Nacionaldo Índio (Funai) e o campus da Universidade Estadual do Amazonas (UEA).

O prefeito do município, Dedei Lobo (PSC), se apresentou contra a ação da PF de combate ao garimpo ilegal e disse que são famílias de extrativistas minerais.

Nas imagens, é possível ver algumas pessoas tentando apagar o incêndio nas dragas após a ação da PF.

O garimpo ilegal na região Norte do país, acontece em áreas de fronteira e muitas vezes dentro de territórios indígenas e de preservação ambiental. A atividade clandestina causa desmatamento da Amazônia e é responsável pela contaminação das águas, do solo e do ar por mercúrio.

A Comissão de Meio Ambiente (CMA) aprovou, em dezembro de 2023, projeto de lei com regras para impedir o garimpo ilegal de ouro no país. O PL 836/2021 regulamenta a comercialização de ouro e cria regras sobre a produção, a venda e o transporte de metal. A proposta segue agora para votação final na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE).

Além de proibir a comercialização de ouro retirado de Terras Indígenas, independentemente do estágio em que se encontra o processo de demarcação da reserva, e de unidades de conservação de proteção integral, o texto altera a legislação associada ao sistema financeiro quanto à comercialização do metal. A intenção é conferir rastreabilidade à cadeia de produção e fechar o cerco contra a lavagem do dinheiro com ouro extraído em garimpo ilegal.

VEJA VÍDEOS: